2006-06-23 – Ata 8a reunião

Ata da 8ª reunião do Grupo Coordenador das Atividades de Cultura e Extensão Universitária do Campus de Ribeirão Preto, realizada aos vinte e três dias do mês de junho de dois mil e seis, às nove horas e trinta minutos, no Centro de Visitantes, localizado à Rua Zeferino Vaz, sem número (Casa do Administrador), neste campus, reuniram-se os seguintes membros do Grupo: Profa. Dra. Anette Hoffmann, Profa. Dra. Marilena Chinali Komesu, Profa. Dra. Patrícia Maria Berardo Gonçalves Maia Campos, Profa. Dra. Regina Aparecida Garcia de Lima, Prof. Dr. José Dutra de Oliveira Neto, Prof. Dr. Vinícius Pedrazzi, Sr. Sergio Alberto de Oliveira, Sr. Aurélio Manoel Correa Guazzelli, Sr. Airton Vieira de Almeida com o Prof. Dr. Sedi Hirano, Pró-Reitor de Cultura e Extensão Universitária da Universidade de São Paulo, e o convidado João Braz Martins Junior, Diretor da Divisão de Apoio à Cultura e Extensão (DVACEX). A Profa. Dra. Marilena Chinali Komesu deu as boas vindas aos presentes e passou a palavra ao Prof. Dr. Sedi Hirano. O Prof. Dr. Sedi Hirano fez uma breve apresentação de suas atuações dentro da Universidade de São Paulo, e informou que a Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária irá elaborar um jornal contendo informações sobre os cursos de graduação da USP e solicitou a Profa. Dra. Marilena Chinali Komesu que fosse feita uma listagem de todos os cursos de graduação do Campus da USP de Ribeirão Preto, com o nome de uma pessoa responsável, telefone e e-mail para que as pessoas possam entrar em contato. Esse jornal será para apresentar o que os Campi da Universidade de São Paulo podem disponibilizar, pois ela não é conhecida pela população. Um levantamento feito mostra que a área de Extensão Universitária é bem mais utilizada que a Cultura. Não existe uma verba específica para a cultura, sendo essa área carente na USP. A USP dispõe de museus de arqueologia e geologia com as maiores coleções, mas com instalações precárias. Não existe um prédio adequado para museus. No caso da Casa do Administrador, o Prof. Dr. Sedi Hirano sugere que seja feito um projeto e um plano de obras para que sejam angariados fundos para sua reforma. A Casa do Administrador não tem estrutura para comportar um museu, por ser tombado pelo patrimônio histórico a qual não podem ser feitas muitas alterações. A Profa. Marilena enfatiza que a Casa do Administrador não será um museu, mas um espaço para exposições. Nessa Casa, as atividades de Cultura poderão ser mais abertas tanto para o público interno quanto para o público externo. Atualmente a Casa funciona como Centro de Visitantes, e há um projeto de torna-la mais segura. A primeira destinação, ela funciona como Centro de Visitantes, serviço de comunicação do Campus com a Comunidade externa. Ela também será sede do Museu Virtual. Será utilizada como espaço para mostra e exposições. Profa. Anette enfatiza que a Casa do Administrador não será um Museu tendo em vista que não há local para serem guardados os acervos. A Faculdade de Medicina tem um projeto para reformar uma casa no centro de Ribeirão Preto para alocar um museu com objetos da Faculdade. Ela enfatiza que essa Casa seria uma casa de cultura e, como tal, será utilizada para congregar as áreas de cultura de todo o Campus. O Maestro Sérgio explicou que o complexo Casa do Administrador e Edícula foi Restaurante dos docentes, depois passou a Centro de Visitantes e servia como elo de ligação com a comunidade externa, pelo local onde está situado, próxima a entrada com Campus. Ela serve como local para pequenas exposições e lançamentos de livros. A casa seria a base desse grande projeto que seria a construção de um prédio. Lelo diz que vê com bons olhos as mudanças no espaço e já está em andamento a contratação de um especialista em exposição. A Profa. Marilena complementou dizendo que a Casa seria um Espaço cultural, um local onde se pudesse fazer exposições. Profa. Anette propõe que cada unidade faça um diagnóstico do acervo que possui. Prof. Dr. Sedi Hirano diz que um museu dentro na Universidade não chama a comunidade externa; a Faculdade de Medicina, como já dito pela Profa. Anette, procurou um prédio no centro da cidade para montar seu museu. Como exemplo, o Prof. Sedi hirano citou o MAC (Museu de Arte Contemporânea) que expõe somente dez por cento de seu acervo. E diz que o ideal seria pensar em um museu científico, pois tendo um projeto e plano de obras, tem a opção da própria FAPESP financiar o projeto. A Profa. Marilena diz que aqui em Ribeirão Preto é ao contrário, pois a cidade possui um museu dentro do Campus. E complementa dizendo que é importante investir em cultura. A Casa do Administrador está situado em um local estratégico. O Prof. Vinícius diz que o nosso campus é um local bonito e a sociedade precisa saber do nosso trabalho. Em toda a cidade, não há uma sinalização que indique como chegar a USP. Ele diz que precisamos não só produzir cultura, mas difundir essa cultura. Prof. Dr. Sedi Hirano concluiu que um espaço para difusão cultural não é um museu, e que o Grupo Coordenador deverá definir que tipo de espaço que o grupo almeja. O Prof. Dutra disse que a Casa do Administrador será um centro de integração de todas as unidades do Campus e a Profa. Patrícia complementou dizendo que em nosso Campus há uma necessidade de integração. Nada mais havendo a ser relatado, dá-se por encerrada a reunião e, na qualidade de secretária, eu Gisele Maranghetti Lourenço Benevides _________________, elaborei a presente ata que segue assinada pela Presidente do Grupo. Ribeirão Preto, vinte e três de junho de dois mil e seis.

 

Profa.Dra. Marilena Chinali Komesu

Presidente